Nove em cada dez pares de calçados produzidos no mundo têm como origem a Ásia

21.08.2023 - Michel Pozzebon

A produção mundial de calçados atingiu 23,9 bilhões de pares no ano passado, correspondendo a aumento de 7,6% em relação a 2021 e retomando o nível pré-pandemia. Do volume total produzido, 87,4% teve como origem a Ásia, ou seja, a cada dez pares de calçados produzidos no mundo, nove são originários do continente asiático. As informações são do World Footwear Yearbook 2022 – 13ª edição do relatório que analisa as principais tendências da indústria calçadista mundial –,, divulgado recentemente pela Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos (APICCAPS).

Segundo a publicação, a China se manteve como o principal produtor mundial de calçados em 2022 invertendo a tendência de queda observada nos últimos anos. O país asiático produziu 13,04 bilhões de pares, correspondendo a 54,6% do volume global.

Dos dez principais produtores mundiais, sete são asiáticos. Entre estes, o Vietnã foi o que apresentou o maior crescimento, cerca de 10,3%, chegando a 1,5 bilhão de pares.

"A distribuição geográfica da produção de calçado permaneceu relativamente inalterada na última década: a Ásia continua dominando, respondendo por mais de 87% da produção mundial, a mesma porcentagem de 2010", diz o relatório divulgado pela APICCAPS.

Foto: Arquivo/GES.
Arquivo/GES
Continente asiático concentra 87,4% da produção mundial de calçados

Brasil

Com 849 milhões de pares produzidos, o Brasil se manteve como o quinto maior produtor mundial de calçados no ano passado. Deste montante, o País exportou 141,9 milhões de pares, que geraram um faturamento da ordem de US$ 1,3 bilhão. Os números são superiores tanto em volume (+14,8%) quanto em receita (+45,5%) em relação aos registrados em 2021. No comparativo com a pré-pandemia, os registros também são positivos, 23,2% em volume e 34,8% em receita. Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), o resultado das exportações de 2022 é o melhor em 12 anos.

Para este ano, a indústria brasileira de calçados deve crescer 2,1% (para mais de 865 milhões de pares). A projeção é da Abicalçados com base em informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O incremento deve ser puxado pelo mercado interno, que aboserve mais de 85% das vendas do setor.

México

Segunda maior indústria de calçados da América Latina, tendo produzido 203 milhões de pares no ano passado, crescimento de 7,9% ante 2021, a indústria mexicana (10ª maior produtora mundial) ainda busca a recuperação diante dos impactos da pandemia de Covid-19. “O ano de 2021 foi de uma recuperação irregular e em 2022, apesar dos desafios, tivemos um crescimento. Mesmo assim, ainda estamos 17% abaixo dos níveis de 2019”, disse o presidente da Câmara Nacional da Indústria de Calçados do México (CANAICAL), Maurício Battaglia, durante o Fórum Latino-Americano do Calçado, em junho, na Colômbia.

Consumo

A Ásia também mantém a liderança no consumo de calçados, respondendo por mais da metade (53,2%), seguido por América do Norte (15,9%) e Europa (14,9%).

O consumo per capita de calçado a nível mundial varia de 1,4 par na África a 5,9 pares na América do Norte.

A China segue sendo o principal consumidor de calçados, não obstante a sua participação para o total global tenha caído para 17,9%. O consumo nos Estados Unidos teve notável aumento de 12,7% no ano passado, recuperando a 2ª posição no consumo, ultrapassando a Índia, o país mais populoso do mundo.

A União Europeia, quando considerada como uma única região, representa o quarto maior mercado, com um consumo de 2 347 milhões de pares em 2022.

Exportações

As exportações de calçados registraram crescimento de 9% em 2022, atingindo um total de 15 bilhões de pares. O que representa um volume acima dos níveis pré-pandemia, mas ainda abaixo do recorde de 2014 (15,7 bilhões de pares). Em valor, as vendas externas somam US$ 175 bilhões, aumento de 16,1% em relação a 2021. Na última década, o incremento foi de 42,9%.

Embora a maior parte das exportações (volume) de calçado sejam originárias de países asiáticos, esse percentual caiu ligeiramente na última década: de 85,3% para 83,9%. Por outro lado, a participação das exportações dos países europeus aumentou de 11,4% para 13,2%.

A China destaca-se como origem de mais de 60% das exportações totais. No entanto, a sua participação caiu mais de 10 pontos percentuais na última década. Por outro lado, o Vietnã aumentou sua presença de 2% para quase 10% nas exportações globais.

Matérias relacionadas

VíDEO

+ VEJA MAIS

AGENDA

+ VEJA MAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Cadastre seu e-mail para receber as novidades do Exclusivo.

Seu email foi cadastrado com sucesso.