Consequências econômicas da guerra

10.03.2022

A Rússia iniciou, na madrugada da quinta-feira, 24 de fevereiro, uma invasão à Ucrânia com ataques em todo o país, incluindo a capital Kiev.

A incursão russa no território ucraniano despertou temores de toda ordem na Europa, nos Estados Unidos e em todos os países que mantêm parcerias políticas e comerciais com as duas nações, incluindo o Brasil.

Como resposta à invasão, o mundo ocidental anunciou um conjunto de severas sanções entre as quais estão o bloqueio das reservas russas em dólar, o congelamento de bens de cidadãos russos, a suspensão de exportações e a retirada dos bancos russos do sistema de pagamentos internacional Swift.

Diante deste cenário, e independentemente da posição de neutralidade exposta pelo Presidente Bolsonaro, espera-se implicações econômicas ao Brasil.

O impacto no mercado financeiro é o primeiro a ser sentido, haja vista que conflitos geopolíticos costumam elevar a incerteza e trazer aversão ao risco, conduzindo muitos investidores a migrar seus ativos para mercados considerados seguros, trazendo reflexos na taxa de câmbio e no preço de ativos.

Para além do reflexo no mercado financeiro, outro efeito imediato da escalada das tensões é a alta nos preços do petróleo e seus derivados.

O confronto militar e a imposição de sanções contra bancos e empresas russas deverá afetar a produção e a exportação de petróleo russo, podendo levar o preço do barril tipo Brent à casa dos 150 dólares a depender da duração e da escalada do conflito.

Ademais, a Rússia também é relevante produtor de diversas outras commodities minerais (alumínio, níquel, paládio) e agrícolas (trigo e milho) e as sanções à exportação destes bens trará ainda mais danos às já abaladas (pelos reflexos da pandemia) cadeias globais de produção.

A consequente elevação dos preços dos combustíveis e das commodities agrícolas e minerais produzirá impactos sobre a inflação brasileira, o que dificultará o trabalho do Banco Central de trazer os preços de volta às metas de inflação, exigindo a adoção de taxas de juros mais altas por longo período.

A crise pode impactar ainda a capacidade do Brasil de importar fertilizantes e insumos agrícolas, que estão atualmente no topo da lista de produtos importados da Rússia, e prejudicar o agronegócio nacional, elevando o preço de alimentos e a capacidade de ampliação da produção agrícola.

É fato também que, por outro lado, o Brasil, por ser um grande mercado produtor de commodities, pode se beneficiar em alguma medida do conflito por produzir muitos bens que podem ser substitutos imediatos de bens produzidos na Rússia e até na Ucrânia, especialmente na área agrícola.

O certo é que as implicações econômicas são altamente incertas e somente o tempo, a intensidade e a dimensão do conflito nos darão ideia mais precisa dos seus impactos.

Orlando Assunção Fernandes

Orlando Assunção Fernandes é economista, mestre em Economia Política e doutor em Teoria Econômica pelo Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

VÍDEO

+ VEJA MAIS

AGENDA

+ VEJA MAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Cadastre seu e-mail para receber as novidades do Exclusivo.

Seu email foi cadastrado com sucesso.