Indústrias de São João Batista/SC anunciam paralisação a partir de segunda

20.03.2020 -

Foto: Divulgação
As empresas de calçados de São João Batista/SC anunciaram paralisação de suas atividades como forma de proteção ao novo coronavírus. A confirmação foi na tarde desta sexta-feira, 20, na sede do Sindicato das Indústrias de Calçados de São João Batista (Sincasjb).

A reunião envolveu empresários do setor, diretoria do Sincasjb, Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias (Sintrical), Secretaria Municipal da Saúde e o prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido. Neste encontro, os gestores das empresas decidiram paralisar as atividades nas indústrias.

Na quarta-feira, 18, uma reunião anterior ainda havia definido a manutenção dos serviços, com operação reduzida, respeitando o decreto de emergência assinado em Santa Catarina na terça-feira, 17, pelo governador Carlos Moisés. O decreto aponta que as fábricas “deverão operar em sua capacidade mínima necessária nas regiões em que já tenha sido identificado o contágio comunitário”, quando há a multiplicação de casos.

As fábricas poderão iniciar sua paralisação de 23 a 25 de março, por um período mínimo de 15 dias. Após este período, o sindicato patronal e o sindicato dos trabalhadores farão um novo encontro, no dia 6 de abril, para definirem as novas medidas. Pelas principais decisões, caberá às empresas do setor pagar as férias junto com o salário dos funcionários; antecipação no período de férias não irá modificar o curso do período aquisitivo anterior do empregado; as férias poderão ser prorrogadas na medida em que houver a evolução do número de casos novos de Covid-19; entre outras medidas. Caberá também às empresas de São João Batista/SC fazer orientações aos seus colaboradores, reforçando a importância do isolamento social para evitar o contágio da doença.

Ao analisar as medidas, o presidente do Sincasjb, Almir dos Santos, lamenta que este é um período muito complicado para todos, destacando também na situação econômica. “Estamos tomando medidas radicais e importantes, mas precisamos da colaboração de nossos trabalhadores para que permaneçam em casa, e assim passarmos por essa pandemia sem grandes consequências, principalmente para a nossa saúde”, explica.

VÍDEO

+ VEJA MAIS

AGENDA

+ VEJA MAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Cadastre seu e-mail para receber as novidades do Exclusivo.