Varejo online cresce mais de 23% na Black Friday

02.12.2019 - Redação Jornal Exclusivo

O setor de varejo online do Brasil faturou R$ 3,2 bilhões na Black Friday, realizada na sexta-feira, 29 de novembro. O número representa um aumento de 23,6% com relação ao mesmo período de 2018. As informações são da Ebit|Nielsen, que mensura dados de comércio online no País, e avaliou o número de vendas entre os dias 28 e 29 do mês anterior. O valor médio por consumidor foi de R$ 602, com leve queda, de 1,1%. No período avaliado, foram registrados 5,33 milhões de pedidos, aumento de 25% no compartivo com o ano passado.

A líder da Abit|Nielsen, Ana Szasz, relatou que os números da Black Friday deste ano comprovam que este evento já faz parte do calendário de compras do brasileiro. "Nesta edição, vemos que as pessoas compraram diferentes tipos de produtos, ou seja, a alta não foi puxada apenas pelos mais caros. Do ponto de vista do varejo, observamos players tradicionais ainda mais preparados, com o entendimento do que o mercado queria", explica, ressaltando que o consumidor esteve mais preparado para comprar online neste ano, garantindo o sucesso da data.

Vendas por dispositivos móveis crescem 103%

Nesta Black Friday, confirmou-se a tendência do consumidor finalizar compras através de dispositivos móveis. Assim como em 2018, este movimento cresceu neste ano. Nos dois dias pesquisados, os resultados indicam que 55% dos pedidos foram realizados a partir de celulares. Na comparação com o ano anterior, o aumento foi de 103%, com o faturamento mobile gerado a receita de R$ 1,7 bilhão. "Já vínhamos falando ao longo do ano sobre 'Mobile First' (dispositivos móveis em primeiro lugar) e, de fato, essa Black Friday se consolidou como o evento onde mais compras foram feitas por este formato. Garantir uma boa experiência mobile foi o diferencial para bons resultados", comenta Ana.

Mais brasileiros compram online

Ainda, segundo a Ebit|Nielsen, a Black Friday levou 418 mil brasileiros a comprar pela primeira vez via internet, alta de 12% em relação a 2018. O total de pessoas no País que compraram no período foi de 2,85 milhões, alta de 18,1% comparada ao mesmo período de 2018.

Considerando as regiões brasileiras, foi o Sudeste quem liderou no volume de pedidos, com 64%. O Sul veio em seguida, com 14%. Na sequência aparecem o Nordeste (12%), Centro-Oeste (7%) e Nordeste (3%).

VÍDEO

+ VEJA MAIS

AGENDA

+ VEJA MAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Cadastre seu e-mail para receber as novidades do Exclusivo.