Produtos novos a partir do reaproveitamento de materiais

27.06.2019 - Redação Jornal Exclusivo

Foto: Marcela Brown/GES Especial
Gustavo Dal Pizzol, diretor da Top Shoes Brasil, destaca sua linha de produtos
A preocupação com o meio ambiente é pauta frequente na atualidade. Reciclar materiais oriundos da indústria evita o descarte irregular de resíduos e consequentes danos ao ecossistema. E, quando se fala em sustentabilidade, além de dar o destino correto para as sobras, é possível encontrar outros caminhos ecológicos sobre o que se fazer com estas.

No último Inspiramais – Salão de Design e Inovação de Materiais, ocorrido em São Paulo/SP, de 4 a 5 de junho, a inovação sustentável esteve presente entre as suas expositoras. Marcas dos setores de calçados, acessórios, couros, confecções, moveleiro e bijuterias trouxeram os seus lançamentos para a coleção outono/inverno 2020. “Cada vez mais as pessoas querem o personalizado, o individual. Além de que estamos nos preocupando com a questão da sustentabilidade. Ainda é um diferencial e um caminho sem volta”, destaca a superintendente da Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal) – entidade promotora do evento, Ilse Guimarães. Por sua vez, o coordenador do Núcleo de Design da Assintecal, Walter Rodrigues, lembra que é no Inspiramais onde a moda começa. “A gente conseguiu fazer uma ponte ante a esse futuro que parecia tão longe da questão da sustentabilidade com o hoje e o desejo do consumidor com o lojista, com quem é vegano e com quem está interessado na transparência do produto”, frisa.

A destinação correta das sobras foi destacada pela Top Shoes Brasil (Campo Bom/RS). A empresa fabricante de solas e cabedais para o setor calçadista trouxe produtos combinados pela linha Eco Design, sendo um destes feito com os resíduos que seriam descartados na fabricação do outro. O diretor da empresa, Gustavo Dal Pizzol, explica que, quando a Top Shoes montou seu projeto de ser uma companhia mais limpa, abraçou o desafio de reaproveitar suas sobras e de seus parceiros. “A melhor maneira de fazer isso foi a partir da cocriação. Nós desenvolvemos novos projetos, com tecnologia e design, sempre pensando em processos sustentáveis para recuperar os materiais que seriam descartados, transformando-os em novos produtos. O objetivo, de fato, é criar novas peças a partir destes restos”, pontua.

Entre as novidades sustentáveis trazidas, estão os solados e viras a partir de borracha e EVA recuperados. Os resíduos são processados e transformados em novos componentes, de características semelhantes aos tradicionais. Outro destaque é o knit, que não gera resíduo por ser um tecido em 3D, e também feito a partir de fibras ecológicas, sendo estas os fios biodegradáveis, os fios PETs (de materiais que seriam descartados) e o fio Recover+PET, criado com resíduos PETs e poliéster recuperado.

Foto: Marcela Brown/GES Especial
Resíduos da Top Shoes são reaproveitados na fabricação de novos produtos
Estilistas desenvolvem acessórios

O reaproveitamento das sobras feito pela Top Shoes também envolve parcerias. A fabricante destinou seus resíduos para estilistas desenvolverem peças inspiradas nas sobras. Calçados, bolsas e vestimentas foram criadas e trazidas ao Inspiramais.

A estilista Eunice Pinheiro foi uma das parceiras. Ela criou sapatos com rejeitos de peças de tricô provenientes da fabricação de tênis, além de bolsas com pequenos retalhos. “Acaba sendo um desafio pensar que aquilo que seria um rejeito que iria para os lixões, nós estamos utilizando para fazer outras peças usáveis para a indústria de moda”, comenta.

Próximos passos ecológicos

Dal Pizzol ressalta que o objetivo final nos materiais da Top Shoes é envolver toda a cadeia produtiva, através de projetos pensados de maneira ecológica, para reaproveitar absolutamente tudo. “Nossa meta é fazer com que o produto final, depois de usado pelo consumidor, retorne para a indústria, para que possamos reaproveitá-lo novamente e seguir criando calçados a partir da própria peça que eventualmente seria descartada”, projeta.

O diretor também lembra que este é um momento muito oportuno para a apresentação destes tipos de soluções. No Inspiramais, houve muitas compras da linha Eco Design. Ele afirma que há maior preocupação com relação a sustentabilidade, e desenvolver peças ecológicas agrega valor e fortalece mais as marcas. “A possibilidade de contar uma história real de reaproveitamento de resíduos é algo muito importante. A aceitação dessa linha foi ótima e atendeu a expectativa que tínhamos”.

Foto: Divulgação
Estande do Grupo Cofrag no último Inspiramais
Grupo Cofrag realça a sua sustentabilidade

Também expositor do Inspiramais, o Grupo Cofrag (Sapiranga/RS) fabrica tecnologias avançadas em tinturaria, espumas de poliuretano, dublagens, termomoldurados e estamparia. Segundo o diretor-presidente da empresa, Gilmar Haag, a o consumo consciente é fator que integra os valores da companhia. “Pensamos em sustentabilidade em seus três pilares: econômico, ambiental e social”, frisa.

Entre os produtos ecológicos, destaca-se a palmilha Tech Green, fabricada com EVA à base de cana-de-açúcar. A espuma Scraptech é outro produto sustentável, feita com resíduos de tecidos e espumas. Inclui também linhas de poliéster reciclado e fio PET. Foi lançado no Inspiramais o Tecido Dynamic, que é a nova geração da poliamida, com higroscopia alta, absorção de umidade três vezes mais rápida e secagem rápida.

O diferencial de ser uma empresa que se preocupa com o meio ambiente garantiu que o Grupo Cofrag obtivesse resultados positivos na mostra. “As pessoas nos procuraram para ver o que temos de sustentabilidade e isso foi muito bom para nós”, destaca a designer da companhia, Betina Reichert.

VÍDEO

+ VEJA MAIS

AGENDA

+ VEJA MAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Cadastre seu e-mail para receber as novidades do Exclusivo.