Maio registra alta de 24,7% nas exportações de calçados

11.06.2019 - Redação Jornal Exclusivo

As exportações de calçados tiveram um relevante aumento em maio. Segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), foram 7,6 milhões de pares vendidos pelo valor de US$ 70 milhões. Houve incremento de 24,7% em receita, e em 19% em pares, com relação ao mês de maio de 2018.

Ao longo de 2019, nos cinco primeiros meses, o Brasil já exportou 52 milhões de pares, com valores de US$ 415,24 milhões. Estes números geraram aumento de 11% na produção vendida e de 3,7 em receita, se comparados com o mesmo período do ano passado.

Os Estados Unidos seguem como o maior comprador dos calçados brasileiros. Somente em maio, os norte-americanos compraram 782 mil pares, e pagaram US$ 14,7 milhões pelos produtos nacionais. Comparados com o mesmo período do ano anterior, estes resultados superam em aumento de volume de 63,7%, e de receita de 80%.

A justificativa para esta elevada compra do produto nacional pelos Estados Unidos está na guerra comercial que aquele país está travando com a China, como aponta o presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein. Ele lembra que os norte-americanos são os maiores consumidores de calçados no mundo, e que por conta do entrave com a nação asiática, estão substituindo os seus fornecedores. "Os Estados Unidos importam mais de 2,3 bilhões de pares por ano, mais de 70% deles da China. Então o impacto é muito significativo",
explica.

Origens e destinos

Entre janeiro e maio, quem segue como o maior exportador de calçados no Brasil entre os estados é o Rio Grande do Sul, com 12,17 milhões de pares, e vendas em US$ 181,23 milhões. A segunda posição é do Ceará, que vendeu 19,53 milhões de pares por
US$ 115,8 milhões. Em terceiro está o Estado de São Paulo, com vendas de 3,3 milhões de pares por US$ 44,18 milhões.

Os Estados Unidos foram os maiores compradores nos cinco primeiros meses do ano. Eles adquiriram 52 milhões de pares, pelo preço de US$ 415,24 milhões. Em segundo lugar está a Argentina, que importou 3 milhões de pares por US$ 38,66 milhões. Na terceira colocação está a Bolívia, que adquiriu 3,69 milhões de pares, pelo valor de US$ 21,95
milhões.

VÍDEO

+ VEJA MAIS

AGENDA

+ VEJA MAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Cadastre seu e-mail para receber as novidades do Exclusivo.